Arquivo do Autor

Viva a blogosfera brasiliense.

setembro 8, 2009

“Só acredito que copiar não é blogar e gerar conteúdo não é tão simples quanto embedar imagens e vídeos.” Foi desta maneira que terminei meu último post aqui no Café.  Estava me referindo a como os blogs de publicidade se repetem e têm medo de dar embutir opinião. São todos muito politicamente corretos, também conhecidos como cagões.

Felizmente e por ironia do destino, embora não sejam de publicidade, começaram há pouco tempo dois blogs de Brasília que ganharam a minha simpatia. Um deles é o Caga-osso de merda. Ele conta as peripécias de um webdesigner que só se fode e, por motivos óbvios, acha tudo uma merda. A graça está em ver como esse ser asqueroso e rabugento se estressa com as menores besteiras da vida.

O outro blog é o beingeek. Estava faltando um blog geek que não fale necessariamente de tecnologia. Ser geek também é falar do novo filme da Pixar, por exemplo. No último post, o Rogério Truite, dono do blog, dissecou o filme, em uma análise bem coerente e interessante sobre detalhes da animação e andamento da história.

Antes que algum zé povinho venha me condenar, não estou fazendo jabá pra nenhum deles. Isso aqui não é um post pago. Esses dois blogs realmente chamaram a minha intenção por trazerem, de fato, algo relevante para a web. O pessoal pensa, analisa, cria e, por isso, gera conteúdo. Quando é pra falar mal, é fácil botar a boca no trombone. Da mesma forma, quando aparecem coisas boas, vale a pena reconhecer o trabalho desse pessoal que já nasceu mais útil do que a grande maioria dos blogs famosos de publicidade.

A blogosfera está brocha.

setembro 6, 2009

Convido-vos a fazer um experimento: abram vossos leitores de feeds (netvibes, google reader ou aquele que mais lhe apetece) e chequem a quantidade de blogs insuportavelmente iguais. Eles falam a mesma besteira, com as mesmas palavras, os mesmos exemplos. O pessoal acha que blogar é fácil. Basta fazer uma pesquisinha medíocre e pronto, sentimento límpido e risonho de que se está contribuindo com a blogosfera e, logo, com a formação de uma sociedade melhor! Sociedade melhor my ass.

Blog que anda igual bêbado com labirintite se encontra aos milhões. Pessoal posta o que dá na cabeça, aliás, o que dá nos  outros blogs.  Semana passada, rodou na panelinha publicitária o episódio da campanha patética da DM9/11 para a WWF. O que mais se viu foi fofoquinha de adolescente: “Geente, vocês viram a campanha que fazia uma brincadeirinha com o 11 de setembro? Ainda não?? Então click aqui, galera!”

Poucos se propuseram a analisar o momento, checar a veracidade dos fatos, condenar, apoiar,  aplicar um ponto de vista ao assunto. Isso dá trabalho. Pesquisar dá trabalho. Pensar dá trabalho. Se a intenção é somente ficar por dentro do que os outros estão dizendo, maravilha. Mas aí não é preciso colecionar blogs. Basta acessar o brainstorm9 e tá tudo resolvido. Por que diabos se dar ao trabalho de copiar um blog já famoso? Me parece de uma acefalia tremenda.

Quanto ao Café com Coca, não contamos o sucesso do blog pela frequência de posts. Isso a gente deixa para os adolescentes já citados. Nossa intenção é proporcionar raciocínio, explicitar opiniões, bater e, consequentemente,  dar a cara a tapa. O resultado disso tudo é evidente. Praticamente quadruplicamos nosso número médio de visitas diárias e sempre recebemos menções positivas de leitores e outros blogs.

Não estou dizendo que somos os donos da verdade, mesmo porque verdades, quando existem, dependem do referencial. Só acredito que copiar não é blogar e gerar conteúdo não é tão simples quanto embedar imagens e vídeos.

Nunca foi tão fácil ser publicitário.

agosto 23, 2009

É isso mesmo. Nunca foi tão fácil ser publicitário. Me parece que o pessoal perdeu o zelo pelo bom trabalho. Não tô falando de ninguém em específico, mas sim das peças que vejo. Poucos têm a ânsia escrota de produzir algo foda, de não deixar “i” nenhum sem pingo.

Isso acaba por influir na maneira dos estudantes de Publicidade pensarem. Sinceramente? Acho que estudante de publicidade é a espécie animal mais preguiçosa e topetuda que existe. Negada tem todas as ferramentas mas fica coçando o toba, pra depois cheirar, numa infindável tentativa de pegar oxiurose pelas narinas. Eles não têm ideia do arrependimento que terão daqui a alguns anos.

E quando eu digo que nunca foi tão fácil ser publicitário, quero dizer que as coisas não andam bem. Quem é ruim não tenta ser bom. Quem é bom não tenta ser foda, e por aí vai. As pessoas que lêem este post agora podem ter uma certeza: se neste exato momento vocês botarem na cabeça que precisam se esforçar pra crescer, já estarão na frente da grande maioria, daqueles 80% que teimam em acreditar que pertencem a esse meio.

A minha visão é que esforço é meio caminho andando nessa profissão. Peguem Ogilvy, Luke Sullivan e David Droga como exemplos. Todos tinham mentes privilegiadas e, exatamente por este motivo, não se davam ao luxo de fazer pouca bosta.

Independente da área, a questão é se dedicar de modo a estruturar o senso crítico e alimentar a mente. Informação é o pré-requisito de todo publicitário. Apenas o prazo deve ser o fator limitante. Assim como o André Matarazzo, CEO da gringo, eu tendo a acreditar que nossa profissão é uma das mais meritocráticas, isto é, não há desculpas para ficar parado.

Talvez vocë esteja pensando: quem esse maluco tá pensando que é pra falar essas coisas? Eu realmente não sou nada. Ainda não. E por isso deixo em aberto: ou tem algo muito errado com nossa profissão, mais especificamente com nossos profissionais, ou eu sou estupidamente míope e vejo estrume onde não há.

Ford Fusion x Guaraná Antarctica.

agosto 11, 2009

E a batalha pelo troféu “oh, shit, man!” está cada vez mais acirrada. Não vamos nem entrar no ramo das empresas pequenas, vítimas de publicitários inescrupulosos e sem o mínimo de bom senso. Aqui a briga é de cachorro grande!

De um lado temos o Ford Fusion: um produto altamente foda, no qual nossos amigos de profissão conseguiram defecar em cima.  Temos a pergunta “Onde você pretende estar daqui a 5 anos?” e a assinatura do modelo passado (Quem dirige o novo Ford Fusion fez por merecer). Até aí tudo bem, conceito é conceito, posicionamento é posicionamento.

O que me deixa emputecido é o vt que rolou. Ele até é bonito, bem produzido e tudo, o problema é a ideia primária que o sustenta e a condução da narrativa (lenta, homogeneamente sem emoção). A sacada está na modelo passando o garotão pra trás: enquanto ele sonha em dirigir o Fusion e tê-la ao seu lado, ela sonha em tê-lo como motorista. Legal, né? Pois então, analisemos: se quem dirige o novo Ford Fusion é quem fez por merecer,  não é lógico um soldado dirigir um carro de general. O patrão fez por merecer e ELE deveria dirigir o carro, não o funcionário.  Melhor que isso, só pensar que ambos os personagens sonham em dirigir um carro de 2009 em 2015, afinal, é onde eles querem estar daqui a 5 anos. Viu como as peças não se encaixam?

Do outro lado do corner, temos o Guaraná Antarctica, ressuscitando as campanhas “guardadas a sete chaves”. Sério, pessoal, essa história já deu. Há melhores formas de mostrar a história da empresa, por que a marca tem um sabor exclusivo etc. Essa receita aí é manjada, não pega mais ninguém. E como estrutura zé bunda não suporta muito peso, duvido que uma ideia tão batida possa levar a frente uma série de vídeos, para que os usuários pesquisem por pistas e descubram a receita.  É muito esforço pra pouco resultado.

Já que eu criei esse troféu, nada mais justo do que eu mesmo ser o jurado. Ford Fusion perde. Motivo? O vt é tosco, mas o hotsite é bem interessante. Eles encontraram formas inusitadas de mostrar as funcionalidades do carro e ficou digno de FWA. Ver site

ps: Se eu fosse você, daria uma olhada no hotsite do Guaraná Antarctica. O engraçado é que eles criaram wallpapers, emoticons, ringtones e screensavers. Qual será a taxa de clicks de cada um deles?

Brazil Promotion 2009

agosto 7, 2009

A gente demora mas não falha!

Como ainda estamos na terrinha da garoa, está difícil sobreviver com uma única internet 3G da Tim. A gente não conseguiu fazer upload das fotos, nem dos vídeos do evento, e creio que só faremos isso quando chegarmos em nossas casas, em Brasília.

Então, o que sobra pra falar do Brazil Promotion? Ultimamente tenho lido bastante sobre planejamento web e, neste exato ponto, o evento surpreendeu. Convidar blogueiros para fazer a cobertura significa criar diferentes pontos divulgadores. Cada blog possui o seu público fiel e os blogueiros envolvidos divulgaram e postaram os pontos de destaque da feira.  A questão não é criar web celebrities, e sim potencializar o buzz com baixa verba (A web é craque nisso!). Ao passo que os blogueiros contribuíram na divulgação, acredito que todos eles ficaram felizes, afinal, ter passe livre no maior evento de marketing promocional do Brasil não é pra qualquer um. Tivemos acesso às conferências, à feira e fizemos parte do júri que avaliava as melhores peças expostas.

Em vez de pagar os blogueiros, o caminho encontrado foi convidá-los a participar do evento, conhecer a sua essência. É claro que há o risco de dar um tiro no pé, já que é impossível controlar o caráter do conteúdo gerado. Mas, esse é um risco que toda marca corre ao entrar na web.

Abaixo, o espaço dedicado aos blogueiros.

Ps: Parabéns a Stella, da freeshop, pela bom trabalho e cordialidade.

Ps2: Abraço ao André do bemlegaus , a Renata do nyt-innovation e a Silvia do Tudibao.

Café com Coca na cobertura do Brazil Promotion.

julho 30, 2009

Ah, que emoção! Tanto tempo sem postar no Café que bateu até nostalgia…

Bom, sentimentos à parte, vamos direto ao assunto. Os 3 integrantes do Café com Coca foram convidados a cobrir o Brazil Promotion: a maior feira de marketing promocional do Brasil. Ela vai ocorrer dia 4,5 e 6 de agosto, em São Paulo.

Também fomos convidados a participar de um júri especializado (uia, a gente é especial!) que irá avaliar algumas ações. Na feira, serão apresentadas as principais inovações e lançamentos em produtos e serviços promocionais, brindes, para o merchandising no ponto-de-venda, digital signage, marketing digital, novas tecnologias, mídias interativas e todo o resto que daria linhas e mais linhas de texto.

Como notícia boa sempre pega de surpresa, é tudo o que podemos adiantar até o momento. Da terra da garoa, a gente cobrirá o evento, com direito a reclamações, tweets e muita coisa foda. (lembrando que cobrir não necessariamente implica em falar bem, puxar saco,  mas sim em falar a verdade) Fiquem ligados! Abs.

@fabricioide

@viniciusmoreira

@gstramon

Cafecomcoca concorrendo ao Future Lions 2009

maio 31, 2009
Desde 2005, A AKQA promove o Future Lions. É um concurso em que apenas estudantes podem participar e eles devem cumprir um determinado briefing (Se não estou enganado, é o mesmo briefing todo ano).  Os 5 vencedores ganham o direito de ir pro Festival de Cannes e tem acesso livre a todos os seminários, palestras etc.
Este ano, eu e o Vinicius Moreira resolvemos participar. O parto foi duro: perdemos o fim de semana passado inteiro. Não havia comida, somente energéticos.
O resultado de tudo isso você confere na apresentação abaixo. (Para melhor visualização, coloque em fullscreen).

Ps: Agradecimentos ao @haddads e ao Dashiell pelo apoio 😉

Storytelling da vida real.

maio 9, 2009

Lembro que uma vez eu estava no busão, que os brasilienses teimam em chamar de “baú”, e um garoto entregou um pedaço de papel com uma mensagem pobre, apelativa e cheia de erros de português. Resolvi mudar aquilo. Peguei caneta e papel, mas nada saiu. Aliás, nada mesmo, nem uma simples correção ortográfica. Pensei com meus botões: que belo criativo, que belo redator!

Alguns meses depois, tive que trocar de lavanderia. Visitei aquelas que ficavam próximas à minha choupana. A mais barata era também a mais escondida. Em cima do balcão estava uma resma de panfletos monocromáticos e mal diagramados. Passeei com os olhos enquanto ela pesava as roupas e reparei que o panfleto não informava o preço. O maior diferencial não estava lá.

Com um leve cagão de estar sendo enxerido, avisei que algumas pessoas do meu prédio estavam à procura de uma lavanderia. Menti. Ninguém havia comentado nada. Aconselhei a colocar o preço no verso do flyer e deixar no correio da negada do prédio. No mesmo dia eles deixaram. (A título de curiosidade somente, estava escrito “LAVA – R$10. LAVA E PASSA – R$ 20”).

Voltei semanas depois e a mulher abriu um sorriso do tamanho do meu saco de roupas sujas. Perguntei se o movimento havia melhorado. Ela disse que estava bem melhor e me agradeceu com toda a sinceridade que uma senhora de idade pode oferecer.

De todos os jobs mortos a cabeçadas, nenhum deles me fez sentir tão útil e satisfeito. O único problema é que eu entrei numa guerra diária. Agora eu quero aquela sensação todos os dias! 😉

@fabricioide Twitter vira assunto no #cafecomcoca

abril 21, 2009

Pensei em falar sobre campanhas online  integradas e até de VRM, mas resolvi apagar tudo. O assunto era bem relevante, eu que não tive as bolas e a capacidade de desenvolvê-lo de forma satisfatória. (Ma’ bad!)

Eis que vou falar sobre o Twitter. Essa semana,  Ashton Kutcher venceu a guerra contra a CNN pelo primeiro milhão de seguidores.

Até que é uma marca considerável para uma mídia vista antigamente como lugar de inutilidades. Kutcher sabe como se auto-promover. Ele twitta incessantemente e sobre tudo, de fotos da esposa quarentona a seus projetos profissionais. Não é de hoje que os meros mortais gostam de espiar  a vida das celebridades. E Kutcher sabe disso.

No Twitter você acha de tudo: job hunters, jornalistas, celebridades etc. Se é diversão que você quer, tem a @nairbello e até gente brincando de ser Deus. Independente de quem você siga, o fato é que o Twitter não pode ser mais ignorado. (Pergunte ao Facebook!)

A negada da Fallon sabia disso e logo criou o Skimmer. Em questão de semanas o programa explodiu e virou assunto até no mainstream. o Skimmer permite administrar diversas mídias sociais, tudo em uma interface simples. Desta forma, a Fallon prestou um serviço às  mídias sociais e, em troca, foi incluída nos assuntos mais comentados da web.

Como disse um famoso publicitário, o twitter é um facilitador para a criação de virais. Você segue quem é relevante e as pessoas que te seguem te acham relevante. O que você twita, seus seguidores verão e passarão adiante. Tudo muito bom, tudo muito legal, pena que é mais fácil dizer do que criar a tão famigerada relevância…

Piada da Coca-Cola

março 21, 2009

Um amigo acabou de me mandar um e-mail com o seguinte assunto “Essa é pra rir! Promoção da Coca-Cola”. Confesso que li, simplesmente pelo fato de ser coca-cola. Se fosse qualquer outra marca, já o teria encaminhado à lixeira.

Reproduzi-lo-ei aqui, agora:

—–

Essa vale a pena ler!! MUITO BOAAAA!! E VIVA A COCA-COLA!!!

Um casal de namorados decide transar de uma forma bem natural, ao ar livre, um pic-nic.Pegam o fusquinha e vão a uma praia bem afastada.
Estacionam e prosseguem a pé. Finalmente chegam à praia linda e deserta.
Ele, amoroso, estende a toalha e, como ventava muito, decide colocar uma garrafa de Coca-Cola em cada ponta para que não voasse.. Se sentam e se beijam…. Fazem juras de amor.Depois do lanche, ele, cuidadoso, coloca a moça de quatro, venda os olhos dela, como planejado, mas, na hora H, esquece a camisinha.
Então diz: ‘Amor, esqueci a camisinha. Vou correndo buscar, me espere desse jeitinho. E sai correndo para buscar a camisinha. Depois que ele sai, passa pelo local um bêbado e vê a cena. Coça a cabeça e, mesmo sem acreditar no que via, decide ir lá conferir.
Não resistindo, o bêbado transa com a garota, que não pára de gemer.
Depois que tudo termina, satisfeito, o bêbado olha para as garrafas em volta da toalha e diz:”A COCA COLA É FODA… DUVIDO QUE A PEPSI FAÇA UMA PROMOÇÃO DESSAS!

—-

Com toda a razão, temos o costume de meter o pau em spams. Eles são inconvenientes e enchem a caixa de entrada com besteiras e viroses digitais. Porém, desta vez fiquei com a sensação de que os spams, na maioria das vezes, são apenas mal usados/pensados.

Imagine que eu, no auge dos meus 21 anos, tenho uma filha de 16. Ela se chama Raramatonela e passa o dia inteiro online, produzindo e recebendo conteúdo. Quando recebe notícias da colcci, manda pra todas as suas amiguinhas. Quando acessa o portal da globo (tadinha, ela ama de paixão o Max do BBB) e vê que a bovespa caiu, manda para papai e para todos os familiares, na esperança de que não façamos besteiras financeiras e deixemos de lhe dar seus preciosos presentinhos.

Assim, ela acaba de segmentar o público-alvo de suas mensagens. Mesmo dentro da cultura anti-spam, o fato é que as pessoas ainda se relacionam por esse meio, e o que faz a diferença se vai funcionar ou não, é o conteúdo que ele carrega.

Particularmente, eu gostaria que alguma marca forte ousasse trabalhar com e-mails. Já imaginou se uma marca como a Coca-Cola realmente criasse piadinhas e distribuísse via e-mail, mostrando que é melhor do que a Pepsi? Essa eu pago pra ver! ;D