Pensar e linkar é só começar

by

Esse companheiro aí do lado chama-se Vilfredo Pareto. Vilfredão, ou simplesmente Pareto, para os não-íntimos, foi um estudioso das sociedades e da economia. Morreu indagora, em 1923. Nasceu em 1848, bem no ano em que a França passava por uma revolução pseudo-proletária. Quem já estudou algo sobre a teoria da cauda longa e sua influência no consumo de conteúdo digital já leu algo sobre Pareto uma hora ou outra. Ele foi o cara que desenhou a tal Long Tail, em termos de gráficos: a curva de Pareto.

Tá, o negócio é que esse sociólogo uma vez escreveu um livro, o Mind and Society, onde falava algo muitíssimo interessante, que podemos associar livremente e com toda propriedade à prática criativa.

O cara classificou a sociedade em dois tipos de pessoas:

Os speculator

É quase o sentido da palavra “especulador” mesmo. Segundo Pareto, são as pessoas que se preocupam constantemente com as possibilidades de novas combinações, que estão sempre linkando coisas, buscando relações que as demais pessoas não atentam. Essas pessoas pensam dessa maneira justamente por estarem insatisfeitas com as condições que já existem. É um pensamento inovador, criativo e inventivo, adepto a constantes mudanças.

E o rentier

Esse outro perfil é mais ou menos o contrário do speculator. São pessoas “conservadoras”, satisfeitas, adeptas de uma rotina sem imaginação ou fortes mudanças.
Nós, que mexemos com comunicação, tendemos naturalmente a pertencer à classe dos speculators, não é mesmo? É ou não é? Tem certeza?

Não dá pra ter tanta certeza. Há uma série de percalços no dia-a-dia que fazem com que façamos muito menos relações entre as coisas. Quer alguns exemplos? Os prazos apertados, clientes conservadores, o próprio cotidiano da publicidade, o fato de passarmos mais tempo nos computadores e nas nossas baias e menos do lado de fora, convivendo com “pessoas normais”. Isso tudo faz muita gente ir perdendo aos poucos a criatividade, apelando pras soluções mais comuns e mais prováveis, que já tem relações feitas na nossa mente, ao invés de buscarmos novas relações e novas maneiras de comunicar.

Agora, tem gente que se previne desse pé-no-freio criativo das mais diversas formas. Eis aqui alguns exemplos bacanas:

What did you buy today?

Esse é o blog de uma consumidora compulsiva chamada Kate Bingaman-Burt. Ela é professora de Design Gráfico na Portland State University e já deu workshops sobre zines em várias universidades nos Estados Unidos. O que ela faz é ilustrar diariamente uma das coisas que ela compra. Cada dia é um desenho diferente, uma abordagem diferente, uma maneira de passar informação.

Indexed

Esse foi FODA de achar, porque eu não acompanhava os feeds. Mas é um ótimo exemplo também. Novamente escrito por uma mulher, Jessica Hagy, foi um dos TopBlogs da revista Times em 2008, Pick of the Day do Yahoo! e Best of Internet pelo The Guardian. O que a moça faz desde 2006, todos os dias, é relacionar coisas inimagináveis e desenhar gráficos à mão. Isso mesmo, gráficos, à mão, em folhas de caderno. Imagina você numa aula chata, com tempo livre, vai lá e fica viajando. Uma hora sai um link bacana entre uma coisa e outra, aparentemente desconectadas. Assim que ela começou. Genial.

New Math

Esse pode ser levado como destaque do post. Dica do @kenfujioka no Twitter. O projeto é dum cara chamado Craig Damrauer, escritor e artista de New York. O negócio dele é linkar coisas por meio de relações aritméticas. E é impressionante como várias relações fazem todo sentido! Toda segunda-feira ele atualiza o site com uma equação nova. Craig também escreveu um livro, o New Math – Equations for living.

Bom, acho que depois de todo esse texto, podemos ir para a moral do post.

MORAL DO POST: Reinvenção. Mais do que nunca hoje é tempo de se reinventar. Todos os dias, em todos os jobs. É tempo de fazer novas relações, pensar diferente, estabelecer um fluxo permanente de novas idéias. E acredito que não preciso dizer o porquê disso tudo né? Só olhar para o mundo à nossa volta.

P.S.: Espero ter injetado alguma dose de vontade nos leitores do Café com esse post. Depois de dois meses sem postar nada, devido a trâmites com a organização do Almanaque de Criação, estou voltando. Se tudo der certo, com uma freqüência mais significativa e constante. Desculpem o hiato!

4 Respostas to “Pensar e linkar é só começar”

  1. Nei Valente Says:

    bem útil

  2. Nando Torres Says:

    Massa Vinuxo. Só aumentando no conhecimento! Parabéns mlk!
    Solta um post ae sobre long tail…to estudando pra carai isso!

  3. Nando Torres Says:

    Ae…o sapobarbado tem coisas legais sobre o Almanaque …dá uma olhada lá!

  4. Calé Says:

    Mto massa! O New Math é muito bom!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: